ficha_tecnica
Aumentar fonte Diminuir fonte

Cultura Gastronômica

ANGU DO GOMES

Slide 1
Slide 2
Slide 3
Slide 4
Slide 5
4 1 2 3 5

A tradicional iguaria, que durante anos foi servida nas carrocinhas que circulavam pelas ruas da cidade, ganhou um endereço fixo no coração da Zona Portuária. Sua trajetória bem sucedida tem início quando o português Manuel Gomes resolveu montar uma carrocinha para vender o angu com miúdos de boi a um precinho bem em conta. Com o passar dos anos e o cansaço batendo à porta, Gomes convidou um amigo para entrar de sócio na carrocinha, e a sociedade acabou sendo assumida pela geração seguinte: o filho do “Seu” Gomes se aliou ao filho do amigo Basílio Augusto Moreira e, em 1955, criaram a marca Angu do Gomes,  transformando o negócio em uma história de sucesso, com 40 unidades atraindo igualmente famosos e anônimos.

Com a demanda em alta, montaram um restaurante onde um batalhão de funcionários e uma cozinha industrial dão conta de preparar a comida, mantendo a receita original criada por seu fundador. O Angu do Gomes ficou tão famoso que ganhou até verbete em um dicionário de gastronomia (Editora Objetiva).

Hoje, o neto do “Seu” Basílio, Rigo Duarte, é quem faz as honras da casa, recebendo os clientes no aconchegante restaurante no Largo da Prainha, onde, em homenagem aos velhos tempos, uma carrocinha fica exposta na entrada. Com muitas histórias para contar, “Seu” Basílio, que doou todas as carrocinhas para seus funcionários, lembra de ilustres clientes, como JK, que pedia para entregar o suculento angu em uma quentinha.

Para se adaptar aos novos tempos, Rigo, que é formado em gastronomia, continua servindo a receita original nos mesmos recipientes de alumínio que fizeram a fama do prato, mas criou novas versões, como o angu vegetariano (carne de soja, abobrinha, cenoura e berinjela) e o de frutos do mar (camarão, lula, polvo, mexilhão e cação), entre outras delícias que incluem também pastéis e bolinhos de angu.

No restaurante, é comum receber clientes que se emocionam quando o angu os remete ao passado, resgatando uma memória afetiva que faz jus ao slogan da casa: “Sabor da nossa história”.

11h às 22h - 2ª a 6ª
11h às 17h - sábados e feriados

Preços variados

A partir de R$ 5,30 (bolinho de feijoada)

Todas as idades

Carro, Metrô (Estação Uruguaiana), Ônibus

83 - E3

Informações:

Rua Sacadura Cabral, 75 – Largo da Prainha – Praça Mauá
(21) 2233 - 4561

Facebook: Angu do Gomes
Instagram: Angudogomes
Site: http://www.angudogomes.com.br
E-mail: angudogomes@angudomes.com.br