ficha_tecnica
Aumentar fonte Diminuir fonte

Música e Arte

CORDÃO DA BOLA PRETA

Slide 1
Slide 2
Slide 3
Slide 4
Slide 5
Slide 6
Slide 7
cordao-bola-preta-4 cordao-bola-preta-1 cordao-bola-preta-2 cordao-bola-preta-3 cordao-bola-preta-6 cordao-bola-preta-5 cordao-bola-preta-7

O grupo carnavalesco se originou em 1917, quando 18 ex-integrantes do tradicional Clube dos Democráticos se uniram sob a liderança de Álvaro Gomes de Oliveira, o “Caveirinha”, para formar o cordão “Só Bebe Água”, cujo logotipo trazia um barril de chope com 18 torneiras ligadas à boca de seus componentes. No dia 31 de dezembro de 1918, o grupo estava confraternizando em um bar no Centro, quando surgiu uma linda mulher vestida de branco com bolas pretas, e um deles falou: “Esse aí é o nosso nome: Cordão da Bola Preta!”.

Nas primeiras décadas de sua fundação, o Bola se instalou em diversos locais  que eram alugados para funcionar no período de novembro ao Carnaval. Apenas na década de 1940, com a união dos diversos sócios bolapretenses, foi finalmente comprado todo um andar de um edifício na Avenida Treze de Maio para sediar a agremiação. A inauguração foi em 31 de dezembro de 1949 e a sede funcionou no local até janeiro de 2008, quando o prédio foi leiloado por questões judiciais. Mas o amor pelo Carnaval e pela honra do artigo terceiro de seu estatuto,  que determina prazo ilimitado para sua duração e lembra que sua finalidade é incentivar o Carnaval carioca em todas as suas formas – artística, musical e cultural – fez com que o Bola continuasse sua missão, mesmo sem a tão sonhada sede.

Entre outros animados encontros festivos promovidos pelo Bola, entraram para a história os famosos Baile da Vitória e o Baile do Sarongue. A marchinha “Quem não chora não mama”, composta por Vicente Paiva e Nelson Barbosa, virou hino oficial e foi declarada pela prefeitura Patrimônio Cultural do Rio de Janeiro. Com a responsabilidade de Quartel General do Carnaval, o Cordão da Bola Preta foi a inspiração para o surgimento de centenas de blocos. Ao som de sua banda, que também anima os bailes na sede e até eventos privados, os desfiles arrastam multidões pelo centro da cidade no sábado de Carnaval, tendo atraído, em 2015, um público estimado em dois milhões de foliões.

Toda a história da Bola está exposta na nova sede, onde foi inaugurado o Centro Cultural Cordão da Bola Preta que, além do centro de memória, conta com sala de aula para formação de músicos, lojinha com produtos oficiais, salão de festas, boteco e restaurante. Vários eventos, como as feijoadas aos sábados, animam sócios e visitantes. A programação inclui frequentes festas temáticas, que podem variar do forró aos mais variados ritmos, sempre mantendo vivo o seu lema original: “Paz, amor e folia”.

Fotos: Acervo Cordão da Bola Preta / Paulo Rodrigues

10 às 17h - 2ª a 6ª (secretaria e Centro Cultural)

(festas e eventos acontecem também nos fins de semana e em horários variados)

Gratuito
(saída no Bloco no Carnaval e visitação ao Centro Cultural)

Preços variados
(festas, bailes e eventos na sede)

Todas as idades

Carro, Ônibus

47 - E6

Informações:

Rua da Relação, 3 – Centro
(21) 2240-8049 / (21) 2240-8099

Facebook: Cordão da Bola Preta
Twitter: @BolaPreta_CBP
Site: http://www.cordaodabolapreta.com
E-mail: cordaodabolapreta@gmail.com